Série – Arquitetura

Participar de comunidades técnicas é uma grande e positiva experiência. Positiva para quem absorve os conteúdos e positiva para quem os produz. Mas, em que aspecto o produtor de conteúdo ganha, se ele “gasta” tempo para escrever artigos, gravar vídeos e podcasts, etc. sem ganhar nada com isso? Ganha principalmente na certeza de que se está ajudando alguém.

Nestes últimos tempos, tenho participado mais ativimente (na geração de conteúdos) da comunidade técnica Microsoft e, muito embora hajam excelentes conteúdos sobre quase todas as áreas, pude perceber um problema: os textos são demasiadamente técnicos e de nível bastante elevado, exigindo de quem lê, visualiza e/ou escuta, certo nível de conhecimento. Quando digo “demasiadamente técnicos” você deve entender: muita técnica empregada de forma pouco didática.

A reflexão a ser realizada aqui é: usuários novos em determinados assuntos, os absorvem de forma integral? Após vários bate-papos com membros da comunidade, foi possível chegar a uma resposta: não, não absorvem. Desde então, tomei como projeto pessoal, gerar conteúdos de forma a manter o bom nível técnico dos assuntos, sem entretanto, abrir mão da didática na explanação dos mesmos.

Iniciei este projeto com uma série com conceitos básicos sobre Orientação a Objetos (O.O.). Em seguida, iniciei uma nova empreitada ao falar sobre os conceitos fundamentais envolvendo WebMatrix e ASP.NET Razor. Finalmente, publiquei uma nova série que, pelo que tenho percebido, tem ajudado uma porção considerável de pessoas – esta série aborda os apectos fundamentais do ASP.NET MVC.

Nova série: Arquitetura

Com este post, inicio a publicação de uma nova série, que entitulei: Arquitura de Software””.

Nesta série, pretendo derrubar alguns mitos e focar de forma mais demorada, alguns conceitos extremamente importantes sobre arquitetura de aplicações. Falaremos sobre injeção de dependência (e conhecer alguns container’s) que otimizam a implementação de tal conceito. Falaremos também um pouco, sobre Inversion of Control (o famoso IoC), e entender como se dá a utilização desta técnica.

Esta série de posts pretende prestar contribuição aqueles desenvolvedores que já possuem certo conhecimento de causa, mas que buscam o crescimento profissional visando criar aplicações extensíveis/reaproveitáveis.

Timeline dos Posts

  1. Injeção de dependência em aplicações ASP.NET MVC com Ninject
    Neste artigo apresento na prática, o processo de implementação de injeção de dependência utilizando um dos containers mais conhecidos e utilizados para este fim: o Ninject.
  2. Injeção de dependência: Desacoplando sua aplicação – Parte 1
    Entenda neste post, os conceitos fundamentais relacionados a injeção de dependência e, porque, é importante implementar este conceito em suas aplicações.

Comentar

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *